Gestão de Interfaces

Organizações de qualquer setor lidam diariamente com embates internos entre diferentes lógicas (por exemplo, financeira versus operacional e controle versus autonomia) e áreas (tais como operação versus  manutenção e engenharia versus suprimentos). Essa situação pode se tornar uma fonte de ineficiência e desgaste, especialmente quando alimentada pela ideia de “cliente versus fornecedor” e por indicadores de desempenho quase sempre individualizados.

O trabalho de Gestão de Interfaces propõe substituir esses embates por um processo de negociação técnica entre as partes envolvidas, onde o foco passa a ser o trabalho a ser feito. Como consequência, ela permite a solução de problemas estruturais e organizacionais que impedem que as pessoas possam trabalhar de maneira cooperativa em prol de um objetivo acordado.
 

 

Expansão ou Pré-operação Ramp-up ou Operações Estabilizadas
Aplicações:
  • Apoio à implementação de sistemas de concepção de projetos que integrem, de maneira sistematizada, a experiência de seus futuros operadores, mantenedores e gestores 
  • Suporte à integração de projetos disciplinares (compatibilização) a partir do retorno de experiência advindo da implementação de projetos anteriores
  • Auxílio no mapeamento de especificações de projeto para facilitar a operação (manufaturabilidade) e a manutenção (manutenabilidade) futuras
Aplicações:
  • Avaliação de conflitos interfuncionais e intersetoriais e apoio para sua solução
  • Avaliação dos sistemas de metas e dos indicadores de desempenho e seus efeitos pretendidos e colaterais
  • Organização de equipes multifuncionais para resolução de problemas complexos e suporte no acompanhamento das discussões técnicas
Resultados:
  • Redução dos custos e dos prazos de implantação e do ramp-up de novos projetos
  • Diminuição de retrabalho futuro, ou seja, de correções de projeto durante a operação, impactando o seu OPEX.
  • Diminuição de conflitos interfuncionais ou interdepartamentais entre Projeto e Operação
  • Otimização da curva de aprendizagem nas equipes de Projeto e Operação
Resultados:
  • Substituição do conceito de “cliente-fornecedor” pelo de “gestão técnica de interfaces”, promovendo a cooperação entre funções e áreas ao invés da competição
  • Redesenho do sistema de metas e avaliação de desempenho com foco no trabalho, na cooperação e no desenvolvimento da expertise
  • Desenvolvimento de um coletivo de trabalho do qual as pessoas tenham satisfação e orgulho de participar

 

 

Cursos abertos

Inovação

Notícias

Fale conosco